Quando falamos em organizar um ambiente, nossa mente nos remete a imagens de beleza e aconchego, quase sempre com um distante som de harpas tocando ao fundo. Nada de errado com as harpas ou com o aconchego, mas a estética não deveria ser a ideia principal, aquela que rouba a cena.

Por favor, não digam por aí que eu defendo a feiura da organização. Longe de mim uma ideia dessas! O que eu digo é que o sentido puramente estético não deve (jamais!) ser prioritário sobre a lógica dos critérios funcionais de um projeto de organização. Até porque é perfeitamente possível que ambos os objetivos trabalhem juntos. Apenas é necessário observar a ordem de prioridade.

Com grande frequência, um projeto de organização que se mostrou fraco teve seu grande tropeço ao pensar na plasticidade antes de se pensar na funcionalidade. A busca da harmonia plástica deve ter lugar após a definição dos critérios que irão ajudar aos usuários daquele ambiente a executarem suas tarefas e localizarem seus objetos. O objetivo principal deve ser criar condições para reduzir o tempo gasto em cada ação, facilitar a movimentação e o acesso a cada item de uso diário.

Vamos passar da teoria para a prática?

Como seria o desenrolar de tudo isso na prática? Eu te conto. Em três dicas simples.

 

Dica 1: Conheça sua necessidade antes de comprar produtos organizadores

Maquiagem, esmaltes, canetas, tesouras e régua no mesmo organizador.

Já vi inúmeras vezes clientes comprarem lindos produtos organizadores que viram em lojas especializadas ou em blogs na internet, sem ao menos saberem como irão utilizá-los. Esses maravilhosos produtos só possuem a capacidade de realmente colaborar com a organização do seu espaço se eles estiverem sendo usados de forma apropriada. Para isso, você deve ter uma ideia precisa do que precisa antes de adquiri-los.

Uma cliente minha certa vez comprou um organizador de gravatas para o closet do marido. O objeto era de uma elegância inegável, além de permitir a separação por cor ou tipo e impedir o contato com a poeira enquanto deixava o tecido respirar. Perfeito, certo?!

O marido dela tinha três gravatas, que usava em uma frequência quase bianual. Entende o meu ponto de vista?

 

Dica 2: Mantenha a mente aberta para repensar seu mobiliário

Exemplo: você mora em um apartamento pequeno no qual um antigo morador deixou um armário lin-do(!) e robusto, de madeira de demolição, que você usa para guardar suas louças. Melhor dizendo: parte das louças, uma vez que ele ocupa muito mais espaço externamente do que disponibiliza internamente, obrigando você a ter parte da sua louçaria em outro armário, em outro cômodo.

Esse é um caso clássico onde a busca pela beleza compromete o bom funcionamento do projeto de organização. A solução mais óbvia para esse empecilho na boa setorização seria a troca desse móvel por uma cristaleira mais leve, com maior espaço interno e que fosse capaz de comportar todas as suas louças e ainda se adequar melhor ao seu reduzido espaço físico.

Talvez o móvel tenha ficado para trás devido ao ótimo conceito de funcionalidade daquele antigo morador. 😉

 

Dica 3: Foque na estética após a conclusão da setorização

Organizador em acrílico da Acrilaria

Uma vez que você setorizou todo o seu espaço, definiu o que fica em que área e a quantidade de objetos você precisa armazenar em cada móvel, chegou a hora de usar seus poderes de decoração e deixar a harmonia da beleza revestir o que a harmonia da organização já assegurou.

Esse é o momento de dar uso (ou novos usos) aos seus belos recipientes e de adquirir novos organizadores que, além de belos, agora servirão a um propósito bem específico.

 

O tempo certo para agradar o sentido estético

Qualquer ambiente pode se beneficiar com a sensação de aconchego que a harmonia visual nos oferece. Só é necessário não confundirmos a ordem das coisas para não comprometermos o resultado. Afinal, ninguém pendura quadros nas paredes antes do término das obras, certo? Primeiro a base funcional, depois a decoração.

Mulher, agitada, "quase" perfeccionista, dona de um estilo eclético e interesse nas mais diversas áreas. Depois que eu me espalho, só a organização me junta!

1 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *