A personalização de uma casa dificilmente se enquadra em categorias isoladas. Organização, decoração e atividades de Faça Você Mesmo naturalmente se misturam quando estamos imbuídos da tarefa de construir um lar confortável, bonito e funcional.

Entretanto, alguns pontos devem ser observados para encontrarmos o equilíbrio perfeito. Afinal, precisamos alcançar o equilíbrio entre o que desejamos realizar e o orçamento, entre o que cada membro da família deseja para aquele ambiente e entre o que gostaríamos de realizar no local contra o que realmente cabe ou combina. Resumindo, vários fatores devem ser observados para equilibrarmos expectativa e realidade, no sentido de encontrarmos a receita perfeita para agradar aos olhos, trazer conforto e funcionar no dia a dia.

Quer um exemplo simples? Meu sonho de consumo sempre foi ter uma cama king size (2,03m x 1,93m) para dormir. Um sonho que precisou ser negociado, pois eu não estava disposta a deixar os sapatos na porta do quarto e rastejar sobre a cama para poder chegar ao outro lado dele. A solução? Negociei comigo mesma abrir mão de duas portas de armário, para que ele coubesse em outra parede, e fiquei perfeitamente satisfeita com uma cama queen size (1,98m x 1,58m).

Para saber como usar os princípios básicos da organização, da decoração e do Faça Você Mesmo a seu favor, sem exageros e sem comprometer o equilíbrio dos seus ambientes, vou relacionar abaixo 5 pontos fundamentais que devem ser observados.

 

1 – Busque a harmonia

Harmonia
Um ambiente harmônico em termos de estilo, de proporções e de funcionalidade gera tranquilidade. Por outro lado, estilos de decoração conflitantes ou excesso de cores fortes em um ambiente muito pequeno, por exemplo, podem causar irritação, sem que você consiga explicar a razão.

Para essa regência perfeita, as cores e materiais dos produtos organizadores escolhidos devem estar em sintonia com a paleta de cores definida para a decoração, assim como alinhados com o estilo dos objetos criados ou reformados por bricolagem (Faça Você Mesmo). Esse equilíbrio acalma a mente e nos remete à tranquilidade e à harmonia.

 

2 – Prefira a simplicidade

Simplicidade
Os excessos, sejam em quantidade de objetos, em cores ou em detalhes, sempre são fatores estressantes para a mente humana. Nada mais tranquilizador para a nossa estabilidade interna do que um ambiente que atende a todas as nossas necessidades sem se exceder.

Excedentes não cumprem uma função, não são úteis e nos distraem dos nossos objetivos. Quer um exemplo? Tente encontrar um lápis em uma gaveta cheia de outros objetos aleatórios. Você levará um tempo muito maior do que se procurar em uma gaveta que contenha apenas material de escritório que você realmente usa e que esteja organizada com categorização.

O mesmo se dá com o exagero de cores ou a abundância de móveis e objetos. A demasia de estímulos sobrecarrega o cérebro e não traz a serenidade que um lar deveria prover.

 

3 – Dê atenção ao conforto

Conforto
Conforto é mais um dos fatores fundamentais os quais buscamos nos cercar quando imaginamos um lar ideal. A tão procurada sensação de bem-estar chega a nós por inúmeros canais. O conforto visual das cores e dos objetos decorativos do nosso agrado costuma ser a primeira influência, mas nem de longe é a única.

O conforto tátil, proporcionado por almofadas e tecidos macios, está diretamente relacionado à nossa ideia de aconchego. Da mesma forma, o olfato e todas as memórias conectadas a esse sentido nos trazem a segurança emocional e o acolhimento que buscamos em nossa casa.

Aromatizadores de ambiente são extremamente fáceis de fazer e, além de causarem uma impressão imediata em quem entra na residência, também cria uma memória olfativa personalizada.

 

4 – Nunca despreze a funcionalidade

Funcionalidade
O prazer de circular por uma casa funcional, sabendo onde encontrar cada coisa que possuímos, transmite a percepção de controle do seu ambiente, que por sua vez traz o relaxamento da rotina.

Do mesmo modo que o cérebro busca o estímulo para criar coisas novas, ele se recarrega na rotina apaziguadora das pequenas coisas práticas. Em um lar, esse quinhão de pequenas coisas práticas deve estar alinhado e operante, sem grandes esforços, para que seja a sua base de recarga.

Nada mais desagradável do que começar o dia de forma frustrante, perdendo um tempo inútil em busca de roupas, acessórios ou utensílios de cozinha, que fazem parte da sua rotina diária e deveriam estar em um local pré-determinado. Ter suas coisas organizadas de forma a facilitar e encurtar o tempo das suas rotinas diárias é o melhor presente que você pode se dar para começar bem o dia.

 

5 – Imprima a sua personalidade

Personalidade
Acho que foi a Martha Medeiros quem escreveu (e peço desculpas se estou prestando falso testemunho) que ela segue uma regra básica para decorar: para qualquer lugar que se olhe tem que ter um objeto do seu agrado. Não sei se foi uma citação ou se a regra é dela, mas eu achei perfeita. É assim que se constrói um lar.
Ao final de todos os fatores anteriores, a casa continua tendo que ter a sua impressão digital nela. Ela precisa refletir a personalidade dos moradores, mesmo que seja limitada a um cômodo apenas, caso você tenha um filho aficionado por rock heavy metal. Ao menos nos poucos metros quadrados do quarto, ele precisa se sentir representado.

No meu caso – confesso – sou apaixonada por palavras e a minha casa reflete isso. É dessa forma que me sinto presente em cada parede dela.

 

Espero que a minha visão tenha sido útil para vocês se inspirarem e fazerem da casa de vocês um delicioso e aconchegante lar!

Mulher, agitada, "quase" perfeccionista, dona de um estilo eclético e interesse nas mais diversas áreas. Depois que eu me espalho, só a organização me junta!

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *