onde estará o meu título de eleitor? Se você faz parte desse, nem tão seleto grupo, saiba que esse é um indício claro de que a sua vida anda necessitando de um pouco de organização.

Trazer organização para a sua vida, ao contrário do que aquele seu amigo folcloricamente bagunceiro prega, não significa perder tempo colocando cada objeto em seu lugar quando seria muito mais fácil e rápido deixá-los na primeira superfície mais próxima. É bem verdade que o seu amigo merece algum crédito. Ele está certo em um ponto: pode mesmo ser um pouco mais rápido. Ele apenas se esqueceu de mencionar a quantidade incalculável de tempo que será perdida na busca desses objetos quando todos eles estiverem misturados, sem nenhuma ordem. É nessa hora que aqueles segundos a mais que você gastaria para colocar algo em seu devido lugar teriam valido a pena.

Uma casa bem estruturada e com um funcionamento lógico está diretamente relacionada com a economia de um bem quase tão valorizado quanto escasso na nossa vida moderna: tempo. Ter um lugar prático e pré-definido para cada objeto ou utensílio, reduz a poucos segundos a busca pelo mesmo, ao contrário daquelas intermináveis incursões de busca e apreensão que, na grande maioria das vezes, termina com a frustrante desconfiança de que o tal objeto talvez tenha sido abduzido para Nárnia.

O ambiente em que vivemos e a forma com que nos relacionamos com ele influi no nosso humor, no prazer que sentimos em estar nesse ambiente e na nossa capacidade de nos recarregarmos energeticamente para mais um dia de atividade. Para que este seja um espaço reparador e acolhedor, ele precisa ser funcional, adequado aos nossos hábitos e, definitivamente, não deve se tornar abarrotado com itens para os quais já não existe mais utilidade em nossas vidas.Tempo

Muitas pessoas confundem arrumação com organização. Um espaço arrumado não possui roupas ou objetos espalhados. Aqui se encerra a definição completa de arrumação. A definição de organização é muito mais ampla, pois visa dar soluções de armazenamento, considerando a funcionalidade e a lógica, assim como os hábitos e a rotina das pessoas que utilizam e habitam aquele espaço. Partindo desse princípio, a probabilidade de um local organizado permanecer arrumado aumenta exponencialmente, em comparação a um local arrumado sem uso da lógica ou sem considerar a sua adequação funcional às rotinas já existentes.

Talvez você esteja se perguntando: “Ah, tá… Quer dizer que uma vez organizados, minha casa ou escritório nunca mais voltarão a ficar bagunçados?”. Não, na verdade não quer dizer isso. Uma casa ou qualquer ambiente habitado possui o ritmo da nossa própria vida. Se você se arrumou correndo e saiu de casa atrasada para um compromisso importante, é possível que deixe para trás uma cama desfeita, algumas roupas jogadas em uma poltrona e alguns sapatos espalhados pelo chão. O tipo de coisa que acontece, em algum momento, com todos nós. O que diferencia a arrumação de um ambiente organizado e outro não organizado é, basicamente, a facilidade e rapidez com que você recoloca todos esses itens em seus respectivos lugares. Em cômodos sem um projeto lógico de armazenamento, temos a constante sensação de tentar criar um espaço para cada coisa, a cada vez que a guardamos, como se fosse a primeira vez, porque não existe um lugar definido antecipadamente para ela. Ou ao menos, não existe um lugar óbvio e intuitivo para ela.

Um exemplo muito simples é: de que adianta ter um lindo suporte de bolsas no meu quarto se eu tenho o hábito de entrar em casa e largar a bolsa sobre a mesa de jantar? Em um projeto de organização, esse hábito seria levado em conta e provavelmente seria criado um espaço próximo à porta de entrada para acomodar essa bolsa. Seja o aproveitamento de um nicho já existente, um gancho de parede transado ou uma cesta no hall, alguma solução criativa traria funcionalidade, economia de tempo e facilitaria muito a manutenção da arrumação do ambiente.

Já onde impera a ausência de um método funcional de armazenamento, a arrumação de um cômodo se torna algo bem próximo de uma gincana com obstáculos. Para cada objeto resgatado de um lugar indevido, segue-se um período desnecessário e desgastante para se encontrar um espaço vazio que possa acomodar aquele objeto. Nem sempre o local escolhido fará sentido amanhã, quando você procurar pelo objeto. Quase nunca você se recordará desse local, já que ele não é intuitivo nem alinhado com a sua necessidade. Provavelmente, esse é o momento em que você, não pela primeira vez, irá considerar seriamente que a sua casa possa ter alguma ligação cósmica com um buraco negro.

Portanto, se você ainda não experimentou a sensação de ter uma vida mais fácil, escolha um cômodo, solicite um projeto a uma boa profissional de organização e o coloque em prática. Seria bom você já escolher naquela lista de “coisas a fazer eu quando tiver tempo” qual será a primeira a sair do papel, pois tempo não será mais uma desculpa para você.

Mulher, agitada, "quase" perfeccionista, dona de um estilo eclético e interesse nas mais diversas áreas. Depois que eu me espalho, só a organização me junta!

1 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *