Algumas pessoas trazem o gosto pela organização no DNA. Parece que, desde a mais tenra idade, já faz parte de sua natureza o olhar analítico e funcional, a preferência por ambientes sem excessos e a busca pela ordem. Mesmo quando são seres miniaturas, não são propensos a espalhar milhões de brinquedos e depois virarem as costas para eles. Em geral, elas são crianças, mais minuciosas, que apreciam brincadeiras mais calmas e, possivelmente, até mais mentais do que físicas.

Essas vão acabar encontrando, por si mesmas e sem muito esforço, métodos de organização adequados. A não ser que alguém as soterre de péssimos exemplos, elas se sentem mais confortáveis em ambientes que não estão dominados pela bagunça.

Se a descrição acima não representa em nada aquela coisa fofa e irrequieta que você tem em casa, você deve estar pensando: “Então, tá… Me lasquei… (inclua um suspiro frustrado aqui)”.

Não tenha tanta pressa em julgar os seus pequenos. Nós, pais e mães, temos poder e amor suficientes para virar esse jogo. Hábitos são poderosas ferramentas transformadoras e jovens humanos são muito propensos a desenvolver novas características, especialmente se vierem na forma de exemplos e/ou embrulhadas em formato lúdico.

Então, vamos lá! Quer transformar seu pequeno desordeiro em um adulto disciplinado e ordenado? Vou ajudar você nesse projeto cheio de mérito com algumas dicas importantes.

Dica #1: Seja um exemplo!

Fonte: Pinterest

Filhos não escutam uma palavra do que dizemos, mas são excelentes imitadores.

Meu avô costumava dizer que filhos não escutam uma palavra do que dizemos, mas são excelentes imitadores. Acredite em mim, ele estava certo.

Você pode gastar toda a sua voz pedindo a seus filhos que não espalhem os brinquedos pelo chão da casa, mas se, para você, a tarefa de arrumar o próprio quarto é algo que se assemelha a uma proeza bíblica, suas palavras não surtirão o menor efeito.

Pelo menos quando pequenos, tudo o que filhos querem é “ser” os pais. Depois eles crescem e tudo muda de figura, mas não precisaremos lidar com essa situação agora. Isso é assunto para outro post… 😊

Apenas dê o exemplo, mostre como é prazeroso viver em um ambiente organizado e boa parte do seu trabalho estará feito.

 

Dica #2: Organizar é divertido!

Talvez você não concorde tão integralmente com essa declaração. Eu compreendo. Cinema é divertido. Praia é divertido. Organização? Bem, essa não é a palavra que você usaria, certo?

Ainda bem que a sua escolha de adjetivos não precisa influenciar seus filhos, pois para eles pode, sim, ser uma grande farra. Se você tem mais de um pimpolho em casa, transforme o ato de recolher os brinquedos em uma grande gincana, com prêmios para todos, obviamente.

Exemplos? Quem ajudar mais o irmão a arrumar a brincadeira vai poder usar uma camiseta, especialmente decorada para a ocasião, que diz: “Hoje eu ajudei mais!”. Aquele que terminou primeiro a arrumação vai poder bater a massa do bolo à tarde. E por aí vai…

Não tem uma prole para fazer parte da gincana? Não é problema. Pode ser divertido da mesma forma. Tenha um carrinho com alça para que o pequerrucho possa circular pela casa recolhendo os brinquedos.

Traga a diversão para o momento de reorganizar os espaços e eles serão os mais animados ajudantes que você possa ter.

 

Dica #3: Armazenamento acessível

Não adianta muito você querer a ajuda deles para guardar de volta o material usado se papel e caneta ficam guardados na gaveta da escrivaninha do papai no escritório e as bonecas em uma grande caixa sobre o guarda-roupas.

Escolha formas de armazenamento que facilitem a realização do trabalho deles para que eles tenham independência para retirar e retornar o material ao local original. Ênfase no “retornar o material ao local original”.

Existem inúmeras formas de deixarmos jogos, brinquedos, bonecos e todo o resto em locais acessíveis. Jogos de montar podem ser armazenados em caixas plásticas individuais, com identificação por imagem. Bonecas podem ser guardadas em sapateiras transparentes. Carrinhos ficam perfeitamente arrumados em suportes magnéticos que, em geral são usados para facas. Animais de pelúcia podem ser armazenados em “jaulas” com grades elásticas.

 

 

As opções são infinitas e um profissional de organização pode ajudar muito na adequação dos ambientes. O importante é que eles mesmos possam ter autonomia para usar e arrumar.

 

Dica #4: Reconhecimento

Ah, vai… essa você já esperava, né? Quem não fica feliz em ouvir um “bom trabalho!”, especialmente se ele vem acompanhado de um abraço e um beijo de mãe? Fala sério, até adultos se matam por isso.

Agradeça e valorize a ajuda do seu pequeno. Diga e demonstre o quanto você se orgulha por ver ele tão crescido, já sabendo cuidar de suas próprias coisas. Seja ao guardar os brinquedos, seja ao retirar o próprio prato da mesa ou mesmo ao ensinar a um irmão menor como realizar uma tarefa, é fundamental o reforço positivo desse comportamento. Isso fará com que ele registre na memória que fez algo bom e queira repetir no futuro. Antes que ele perceba já se habituou a manter e apreciar a organização do seu ambiente.

Espero que essas dicas possam ajudar todos os pais nessa importante tarefa que é deixar para esse mundo tão caótico e desorganizado em que vivemos, adultos capazes de cuidar de si mesmos de forma organizada, funcional e produtiva.

Esse é um belo legado para deixarmos para o nosso planeta, você não acha?

Mulher, agitada, "quase" perfeccionista, dona de um estilo eclético e interesse nas mais diversas áreas. Depois que eu me espalho, só a organização me junta!

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *